MotoGP

Viñales bate Márquez em Phillip Island

newsletter

pub

17 / fevereiro, 2017

O piloto da Yamaha volta a ser o mais rápido no último dia de testes em Phillip Island.

 

Terminado o terceiro dia de testes em Phillip Island, e continuando a tradição já iniciada em Sepang, Maverick Viñales voltou a levar a sua Yamaha YZR-M1 ao topo da tabela de tempos ao rodar em 1m28.549s, o tempo absoluto mais rápido de todo o evento e cerca de um segundo e meio mais rápido que o tempo da Pole Position assinada por Marc Márquez aquando da corrida do final da última temporada.

Viñales sai da Austrália satisfeito com o trabalho desenvolvido pela equipa afirmando ter já encontrado uma afinação base com a qual conseguirão realizar uma boa prestação na ronda de abertura do Campeonato do Mundo de MotoGP no Qatar. O dia foi dedicado ao estabelecimento de um bom ritmo de corrida, tendo o final da sessão sido reservado para as habituais voltas rápidas que têm valido ao espanhol verdadeiros tempos canhão.

Menos satisfeito ficou Valentino Rossi, o seu colega de equipa, que celebrou no dia 16 de fevereiro o seu 38 aniversário. O italiano dedicou o dia a estudar a performance da sua moto em simulações de segunda metade de corrida, uma área onde Rossi e a Yamaha sofreram no ano transato, mas os resultados não foram tão satisfatórios como esperado e Rossi não passou da 11º posição. No entanto, o heptacampeão do mundo de MotoGP salientou o nível de desenvolvimento do motor da M1 e espera conseguir encontrar o ritmo ideal no último teste da pré-época no Qatar.

Marc Márquez assinou o segundo melhor tempo num dia que terminou da melhor forma para o espanhol, não só por ser o seu aniversário, onde a equipa lhe ofereceu uma lupa, uma curiosa referência aos pedidos minuciosos do piloto para os seus técnicos analisarem a telemetria ao pormenor, mas também por ter finalmente encontrado uma afinação com a qual se sente muito confortável. Depois de ter chegado à Austrália ciente da necessidade de melhorar o motor da sua RC213V, nomeadamente ao nível da eletrónica de controlo, o piloto terminou o dia satisfeito com o trabalho desenvolvido e espera manter o mesmo nível de competitividade no peculiar traçado do Circuito de Losail.

Dani Pedrosa deu-se finalmente a conhecer à concorrência desde o início dos testes de pré-época depois de ter lutado durante os dois primeiros dias de testes em Phillip Island com uma indisposição febril que condicionou substancialmente a sua performance. No entanto, o espanhol mostrou bom ritmo, num dia onde foi apenas duas décimas de segundo mais lento que o seu colega de equipa.

Jonas Folger foi quarto demonstrando uma excelente habituação à MotoGP da equipa Tech3, neste que é o seu ano de estreia na categoria à semelhança de Alex Rins que também se colocou numa excelente sexta posição com a sua Suzuki demonstrando o potencial para uma excelente época dos dois “rookies”. Entre si, Cal Crutchlow ocupa a quinta posição coma RC213V da equipa LCR.

Andrea Dovizioso e Jorge Lorenzo levaram as duas Ducati à sétima e oitava posições, respetivamente, num final de teste de altos e baixos, principalmente para o piloto recém-chegado à equipa. Se, por um lado, Lorenzo se revela muito satisfeito pela sua crescente habituação à marcadamente diferente Desmosedici, por outro lado os melhores tempos do piloto revelam uma diferença substancial para os pilotos da Yamaha e Honda que levará a equipa técnica da Ducati a evoluir a sua moto, principalmente no que diz respeito à capacidade de entrada em curva, para conseguir alcançar os homens da frente.

Jack Miller e Aléix Espargaró, este último aos comandos da Aprilia da equipa oficial, fecham o top dez. Andrea Iannone foi 12º com as KTM Red Bull a aparecerem na 16ª posição pela mão de Pol Espargaró que mais uma vez conseguiu ser  mais rápido com a nova moto de Mattighofen, enquanto os eu colega de equipa Bradley Smith não ficou muito atrás na 18ª posição.

A caravano de MotoGP ruma agora ao Qatar para os derradeiros 3 dias de testes de pré-época que se realizam no circuito de Losail a 10 de março em antecipação do arranque do Campeonato ai mesmo a 26 de março.

 

Classificação

Posição

Piloto

Equipa

Tempo

Diferença

Voltas

1

VIÑALES, Maverick

Movistar Yamaha MotoGP

1:28.549

 

101

2

MARQUEZ, Marc

Repsol Honda Team

1:28.843

0.294

96

3

PEDROSA, Dani

Repsol Honda Team

1:29.033

0.484

65

4

FOLGER, Jonas

Monster Yamaha Tech 3

1:29.042

0.493

63

5

CRUTCHLOW, Cal

LCR Honda

1:29.101

0.552

85

6

RINS, Alex

Team SUZUKI ECSTAR

1:29.103

0.554

66

7

DOVIZIOSO, Andrea

Ducati Team

1:29.248

0.699

73

8

LORENZO, Jorge

Ducati Team

1:29.342

0.793

75

9

MILLER, Jack

Team EG 0,0 Marc VDS

1:29.358

0.809

93

10

ESPARGARO, Aleix

Aprilia Racing Team Gresini

1:29.361

0.812

65

11

ROSSI, Valentino

Movistar Yamaha MotoGP

1:29.470

0.921

52

12

IANNONE, Andrea

Team SUZUKI ECSTAR

1:29.547

0.998

77

13

PETRUCCI, Danilo

Octo Pramac Racing

1:29.615

1.066

57

14

ZARCO, Johann

Monster Yamaha Tech 3

1:29.670

1.121

87

15

BARBERA, Hector

Reale Esponsorama Racing

1:29.791

1.242

83

16

ESPARGARO, Pol

Red Bull KTM Factory Racing

1:29.857

1.308

62

17

BAZ, Loris

Reale Esponsorama Racing

1:29.977

1.428

71

18

SMITH, Bradley

Red Bull KTM Factory Racing

1:29.978

1.429

73

19

BAUTISTA, Alvaro

Pull&Bear Aspar Team

1:29.984

1.435

74

20

REDDING, Scott

Octo Pramac Racing

1:30.005

1.456

74

21

LOWES, Sam

Aprilia Racing Team Gresini

1:30.200

1.651

57

22

ABRAHAM, Karel

Pull&Bear Aspar Team

1:30.452

1.903

61

pub

Destaques

MotoGP ver mais
MotoGP ver mais
MotoGP ver mais
MotoGP ver mais
MotoGP ver mais
MotoGP ver mais Um dos casos mais famosos em que foi aplicada a penalização de pontos: Rossi e Marquez, em Sepang 2015, numa altura em que Rossi lutava com Lorenzo pelo título de MotoGP